Rádio UnirG

UnirG – Universidade de Gurupi
UnirG – Universidade de Gurupi

Pesquisa



Propesq

Pró-reitoria de Pesquisa e Pós Graduação (Propesq)  tem como objetivo trazer a pesquisa científica ao alcance de todos, supervisionando e coordenando projetos de pesquisa, criando mecanismo de incentivo à iniciação científica e a diversas áreas de Pós-Graduação Lato Sensu e Stricto Sensu.

Além disso, informa sobre eventos e atualidades científicas, fornece base científica, fornece base de dados atualizada para o desenvolvimento da pesquisa e publica o resultado dos estudos em revistas científicas próprias da Universidade de Gurupi –  UnirG.

Portaria/Propesq Nº 01-2020, de 10 de março de 2020 – Nomeia avaliadores ad-hoc para Edital PROPESQ UnirG/2020/01 e dá outras providências.

Pró-reitoria de Pesquisa e Pós Graduação (Propesq)  tem como objetivo trazer a pesquisa científica ao alcance de todos, supervisionando e coordenando projetos de pesquisa, criando mecanismo de incentivo à iniciação científica e a diversas áreas de Pós-Graduação Lato Sensu e Stricto Sensu.

Além disso, informa sobre eventos e atualidades científicas, fornece base científica, fornece base de dados atualizada para o desenvolvimento da pesquisa e publica o resultado dos estudos em revistas científicas próprias da Universidade de Gurupi –  UnirG.

Portaria/Propesq Nº 01-2020, de 10 de março de 2020 – Nomeia avaliadores ad-hoc para Edital PROPESQ UnirG/2020/01 e dá outras providências.

O Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade de Gurupi – UnirG (CEP-Unirg) é um colegiado interdisciplinar e independente, com “múnus público”, que deve existir nas instituições que realizam pesquisas envolvendo seres humanos no Brasil, criado para defender os interesses dos sujeitos da pesquisa em sua integridade e dignidade e para contribuir no desenvolvimento da pesquisa dentro de padrões éticos (Normas e Diretrizes Regulamentadoras da Pesquisa Envolvendo Seres Humanos – Res. CSN nº466/12 e Res. CSN nº 510/16).

O CEP- UnirG é responsável pela avaliação e acompanhamento dos aspectos éticos de todas as pesquisas envolvendo seres humanos. Este papel está bem estabelecido nas diversas diretrizes éticas internacionais e Brasileiras, diretrizes estas que ressaltam a necessidade de revisão ética e científica das pesquisas envolvendo seres humanos, visando a salvaguardar a dignidade, os direitos, a segurança e o bem-estar do sujeito da pesquisa.

A missão do CEP é salvaguardar os direitos e a dignidade dos sujeitos da pesquisa. Além disso, o CEP contribui para a qualidade das pesquisas e para a discussão do papel da pesquisa no desenvolvimento social da comunidade. Contribui ainda para a valorização do pesquisador que recebe o reconhecimento de que sua proposta é eticamente adequada.

Coordenação do CEP

  • Vinicius Lopes Marinho- Coordenador
  • Mira Célia Benvenuto- Vice Coordenadora

Membros relatores

  • Alessandra Martins Correia
  • Antônio Jerônimo Netto
  • Fábio Luiz Soares
  • Francícero Rocha Lopes
  • Karine Queiroz Poletto
  • Lucas França Marra- Representante dos Usuários
  • Rafaela de Carvalho Alves
  • Sofia Mara de Souza
  • Wataro Nelson Ogawa

DOCUMENTOS ÚTEIS:

LOCALIZAÇÃO PARA ATENDIMENTO EXTERNO:

Comitê de Ética em Pesquisa – CEP/UNIRG – Avenida Rio de Janeiro, n. 1585, Centro, Gurupi-TO. CEP 77403-090. E-mail: cep@unirg.edu.br, fone: (63) 3612-7645, de segunda a sexta-feira em horário comercial (exceto feriados)

Membros da comissão de Ética.

Titulares

  • Jardel Pereira Rodrigues
  • Adolpho Dias Chiachio
  • Bruno Nunes do Vale
  • Eduardo Fernandes de Miranda
  • Gisela Daleva Costa Guadalupe
  • Herivelto Silva Carlotto
  • Marcos  Gontijo da Silva
  • Marise Tanaka Susuki

Suplentes

  • Danile Bueno Godinho Ribeiro
  • Gustavo José Von Glehn Santos
  • Iran Johnatahan Silva Oliveira
  • Jairo Azevedo Junior
  • Marllos Peres de Melo

Normas e procedimentos

Os pesquisadores que desejam obter certificação para uso de animais de experimentação, deverão solicitá-la preenchendo o formulário disponibilizado pela Comissão de Ética em Uso de Animais (abaixo) e encaminhando-o de forma eletrônica para o e-mail: ceua@unirg.edu.br  (aguardar aprovação antes de imprimir o formulário). Após o envio do formulário, é necessário aguardar a aprovação ou correções que deverão ser feitas pelos membros da CEUA. Sendo aprovado, o(a) pesquisador(a) será notificado para imprimir uma cópia do formulário e entregar na recepção do CEUA, que disponibilizará o certificado assinado pela Coordenação.

FORMULÁRIO UNIFICADO PARA SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA USO DE ANIMAIS EM ENSINO E /OU PESQUISA

REGIMENTO INTERNO CEUA/UNIRG

 

Retificação ao Edital (Cronograma): Edital nº 05/2020/Propesq/LIVRO, de 21 de setembro de 2020

Retificação ao Edital nº 02/2020/Propesq/Livro: Edital nº03/2020/Propesq/Livro, de 31 de agosto de 2020

Abertura do Edital: Edital nº 02/2020/Propesq/LIVRO, de 26 de agosto de 2020

Em setembro de 2014, a PROPESQ realizou uma reunião com os professores Doutores, Mestres e demais pesquisadores da Universidade de Gurupi – UnirG (antigo Centro Universitário UnirG), para compor os primeiros grupos de pesquisa, com o alinhamento dos trabalhos científicos, projetos de extensões e Trabalhos de Conclusão de Curso, visando ampliar as intenções e orientações científicas aos professores pesquisadores, apresentando-lhes diretrizes e ações para a consolidação do desenvolvimento científico no âmbito desta IES.

Os professores Doutores se prontificaram a liderar os grupos de pesquisa e receberão total assistência e orientações da PROPESQ para o cadastramento dos grupos e demais ações.

Atualmente estes grupos se encontram inscritos e certificados no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq.

Grupo 1 –Desenvolvimento Regional e Sustentabilidade

Grupo 2 –Prevenção e Promoção da Saúde

Grupo 3 –Processos Educativos

v. 12, n. 1 (2020): Revista Cereus

Revista Cereus

A Rev. Cereus, uma publicação eletrônica vinculada à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação do Centro Universitário UnirG, Gurupi (TO), destina-se à divulgação de trabalhos científicos das áreas classificadas pela Capes como Ciências exatas e da terra, Saúde coletiva (epidemiologia, saúde pública, medicina preventiva) Ciências sociais aplicadas, Ciências humanas, Linguística, Letras e artes, mas abre espaço para submissões de outras áreas desde que os respectivos conteúdos guardem correspondência com o projeto da revista.

A revista está temporariamente fechada para submissão.

As diretrizes para os autores podem ser encontradas aqui.

Modelo de Artigo da Revista Cereus.

A revista Amazônia Science & Health  é um periódico da Universidade de Gurupi – UnirG com publicação trimestral destinada à publicação de trabalhos científicos e intervenções relacionados às áreas de Ciências Médicas e da Saúde. O acesso às publicações é totalmente gratuito e não há taxas para submissão e publicação dos manuscritos.

v. 8, n. 2 (2020): Revista Amazônia: Science & Health

Revista Amazônia

Revista Amazônia: Science & Health

As diretrizes para os autores podem ser encontradas aqui.

Modelo de Arquivo da Revista Amazônia.

As pós-graduações lato sensu compreendem programas de especialização e incluem os cursos designados como MBA (Master Business Administration). Com duração mínima de 360 horas, ao final do curso o aluno obterá certificado e não diploma.

O Biotério Central da UNIRG é um órgão suplementar subordinado a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, e tem por meta produzir reagentes biológicos de qualidade, que venham atender à comunidade universitária nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Mantém animais de laboratório (ratos), os quais são destinados às atividades de ensino, pesquisa e extensão e também, desenvolvimento de recursos humanos, assessoria e cooperação técnica.

Produz animais do tipo convencional: ratos (Rattusnorvegicus) albinos da linhagem Wistar, os quais são utilizados, em sua maioria, nas atividades de pesquisa e ensino.

EQUIPE

Coordenador:

Responsável Técnico: Adolpho Dias Chiacchio

Bioterista: Juliana Batista da Silva

 

SOLICITAÇÕES DE ANIMAIS

Em cumprimento à Lei n° 11.794 de 08 de outubro de 2008, os animais somente serão fornecidos mediante aprovação da Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA/UNIRG).

Como proceder?

Para realizar a solicitação de modelos biológicos para o Biotério Central, é necessário que o projeto seja previamente submetido à apreciação pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal  CEUA desta instituição (disponível no link CEUA – normas e procedimentos). Após o projeto aprovado e emitido o parecer favorável à sua execução, o pesquisador deve preencher o formulário de solicitação de animais do Biotério Central e anexar uma cópia da carta da CEUA. Os documentos listados abaixo deverão ser enviados exclusivamente por e-mail (biotério@unirg.edu.br) para liberação dos animais conforme disponibilidade.

Abaixo está listada a documentação obrigatória para solicitação de animais para PROJETO DE PESQUISA/AULA PRÁTICA:

Formulário de Solicitação de Animais ao BIOTÉRIO

LEGISLAÇÃO, NORMAS E PROCEDIMENTOS

Livro: ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DE ENFERMIDADES TRANSMISSÍVEIS E NÃO TRANSMISSÍVEIS DA REGIÃO SUL DO ESTADO DO TOCANTINS

Organizadores: Rise Consolação Iuata Costa Rank, Millena Pereira Xavier, Nelita Gonçalves Faria De Bessa

Páginas: 224

Editora Kelps

Descrição: Esse livro discorre sobre doenças graves como a dengue, zika vírus e a Chickungunya, abrangendo a educação, comunicação e o saneamento. Incluiu o histórico, as inovações científicas, a prevenção e o controle dos mosquitos biologicamente modificados. Pesquisou-se a educação permanente em saúde do SUS de Gurupi/TO.  Além de trazer conhecimentos imprescindíveis para os pais, educadores e jovens em geral, no que diz respeito a um dos mais importantes assuntos que se deve ter consciência: a gravidez na adolescência. A investigação angariou informações também sobre o tratamento dentário em crianças. Ela revelou que algumas doenças bucais devem ser descobertas na fase infantil visto que podem afetar todo o período de vida. O conjunto de informações alcançadas nesse livro foram relevantes para lidar com o idoso do futuro próximo. As pesquisas atuais são muito centralizadas em medicamentos e os resultados mostraram que há necessidade de expandir o conhecimento acerca desse objeto. A exploração do tempo de aleitamento materno demonstrou a necessidade de intervenção nas políticas públicas, sobre o efeito do período de nutrição do bebe, durante o crescimento infantil. Além disso, os escritores atingiram uma compreensão mais ampla desse conteúdo, ao estudar as múltiplas relações que influenciam o preparo das gestantes para a amamentação. Houve contribuição meritória dos autores quando expandiram a experiência já adquirida. A obra em resenha é relevante aos saberes e procedimentos de intervenção em saúde materna infantil. A metodologia adotada para as proposições efetivadas foi bastante funcional devido aos exames empregados.

 Capítulos:

CAPÍTULO 1-  ENFRENTAMENTO DA DENGUE, DO VÍRUS CHIKUNGUNYA E DO ZIKA VÍRUS EM GURUPI-TO: SALA MUNICIPAL DE COORDENAÇÃO E CONTROLE NO COMBATE AO Aedes Aegypti

Wellington de Souza Moura

CAPÍTULO 2 – RETRATOS DO PROCESSO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE NO MUNICÍPIO DE GURUPI, TOCANTINS

Jeann Bruno Ferreira da Silva, Márcia Andrea Marroni

CAPÍTULO 3 – LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA NO MUNICÍPIO DE GURUPI-TO

Florence Tible Germaine Lainscek, Layanne Santos Lima, Sharliane Carneiro de Oliveira, Sávia Denise Silva Carlotto Herrera, Geovane Rossone Reis

CAPÍTULO 4 – LEVANTAMENTO DO PERFIL DA FAMÍLIA E A HISTÓRIA DENTAL DE CRIANÇAS QUE RECEBERAM ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO EM 10 ANOS, NA  CIDADE DE GURUPI-TOCANTINS.

Rise Consolação Iuata Costa Rank, Joana Estela Rezende Vilela, Fausto Félix da Silva, Omar Franklin Molina

 CAPÍTULO 5 – PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO, DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS CADASTRADOS NO INSTITUTO JUAREZ MOREIRA EM GURUPI, TOCANTINS,BRASIL.

Rafaela De Carvalho Alves, Marcos Gontijo Da Silva, Erica Eugênio Lourenço Gontijo, Janne Marques Silveira, Millena Pereira Xavier

 CAPÍTULO 6 – REALIDADE REGIONAL EM RELAÇÃO AO TEMPO DE ALEITAMENTO MATERNO E

SUAS POSSÍVEIS SEQUELAS

Rise Consolação Iuata Costa Rank, Joana Estela Rezende Vilela, Thuane Neves, Karla Regina Gama, Marcos Sampaio Rank

 CAPÍTULO 7 – EPIDEMIAS: INTERVENÇÕES MÉDICO-POLÍTICAS COMO PARADIGMAS DE CRÍTICA DA MODERNIDADE

José Carlos de Freitas

 CAPÍTULO 8 – DIAGNÓSTICO REGIONAL A RESPEITO DO PREPARO DE GESTANTES PARA O ALEITAMENTO MATERNO

Rise Consolação Iuata Costa Rank, Joana Estela Rezende Vilela, Marcos Sampaio Rank, Marília Pantoja Soares Silva, Maria do Amparo Ferreira dos Prazeres.

CAPÍTULO 9 – ESTRATÉGIAS E AÇÕES PARA AUXILIAR NA SAÚDE MATERNO-INFANTIL DA REGIÃO

Rise Consolação Iuata Costa RanK, Joana Estela Rezende Vilela, Luciana Marquez, Marília Pantoja Soares Silva, Maria do Amparo Ferreira dos Prazeres

 

Livro: PRÁTICAS EDUCATIVAS – ABORDAGENS MULTIDISCIPLINARES NA REGIÃO SUL DO ESTADO DO TOCANTINS

Organizadores: Rise Consolação Iuata Costa Rank, Millena Pereira Xavier, Edna Maria Cruz Pinho

Páginas: 344

Editora Kelps

Descrição: O tema central deste livro é a prática educativa. Compõe-se nove capítulos que trazem análises e reflexões de abordagens multidisciplinares sob vários enfoques, conforme as opções investigativas dos seus autores. Esta obra propõe resignificar às práticas pedagógicas para que as mesmas possam auxiliar os professores a pensarem um novo referencial para o ensino de suas disciplinas em sala de aula, para assim potencializar a educação formal e em especial a formação de professores. Partindo desta perspectiva, os textos têm uma intencionalidade de resignificar e discutir a aprendizagem e a prática pedagógica multidisciplinar a partir das diversas concepções de apreensão do fenômeno educativo na era globalizada, onde está presente a complexidade das relações humanas. Os textos apresentam uma aproximação atual, sobre os novos e velhos desafios propostos pela educação formal. Os mesmos têm uma intencionalidade de discutir a aprendizagem e a práticas educativas.  Ao transitar por diversos relatos de experiências das práticas educativas, os (as) autores (as) através dos textos nos apresentam de forma bem particular e cuidadosa uma exposição das questões que os envolvem no universo escolar. Além disso, apresentam conceitos indispensáveis para o nosso conhecimento, os quais, gostaríamos de compartilhar com os (as) leitores (as).

Capítulos:

CAPÍTULO 1- PRÁTICAS EDUCATIVAS E TECNOLOGIA ASSISTIVA: A EDUCAÇÃO FÍSICA

EM FOCO.

Lucilene Gomes da Silva, Layson Pimentel da Silva, Magna Milhomem Lima

CAPÍTULO 2- EXCELENTE EDUCAÇÃO COMO REQUISITO BÁSICO EM UMA REGIÃO PARA O SUCESSO DE UM PARQUE TECNOLÓGICO

Adriana de Miranda Santiago Terra, Edson A. A. Querido Oliveira, Eduardo Andrea Lemus Erasmo

 CAPÍTULO 3 – GESTÃO EDUCACIONAL E SEUS DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS: RELATO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS EM COLINAS DO TOCANTINS

Maria Leci de Bessa Mattos

 CAPÍTULO 4- OS CONTEÚDOS E AS DIMENSÕES DE CONHECIMENTO NA 2ª VERSÃO DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR NA ÁREA DA EDUCAÇÃO FÍSICA

Mauricio Pereira da Silva, Elson Pereira Camargo, Jackson Carlos da Silva

 CAPÍTULO 5 – DESAFIOS E POSSIBILIDADES NA DANÇA SOBRE RODAS

Gisele Soares de Jesus, João Bartholomeu Neto, Eliana Zellmer Poerschke Farencena

 CAPÍTULO 6 – AVALIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM POR MEIO DE ESCALA

Plínio Sabino Sélis

 CAPÍTULO 7 – MEMÓRIAS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR EM GURUPI

Edna Maria Cruz Pinho, Joel Moisés Silva Pinho, Eliene Pereira da Silva Mesquita

 CAPÍTULO 8 – OLHAR DE ESCOLARES DO ENSINO MÉDIO SOBRE A EDUCAÇÃO FÍSICA

Taynara Dias Lopes Teixeira, Eliana Zellmer Poerschke Farencena, João Bartholomeu Neto

 CAPÍTULO 9 – SISTEMA MONETÁRIO COMO PROPOSTA DE INVERSÃO CURRICULAR DO ENSINO DO NÚMERO RACIONAL POSITIVO NA FORMA DECIMAL

Lady Sakay, Cristiano Alberto Muniz

 

Livro: TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR DA REGIÃO SUL DO TOCANTINS

Organizadores: Rise Consolação Iuata Costa Rank, Millena Pereira Xavier, Paulo Henrique Costa Mattos

Páginas: 364

Editora Kelps

 Descrição: Esta obra o descreve o território como um lugar em que desembocam todas as ações, todas as paixões, todos os poderes, todas as forças, todas as fraquezas, isto é, onde a história do homem plenamente se realiza a partir das manifestações da sua existência. Pesquisar a importância de um determinado território sempre foi fundamental para se determinar não somente o seu passado, como também para contribuir o pensar e planejar seu futuro. Porém, mais que isso, é também encontrar sua constituição imaterial, quer seja, as suas normas, suas leis, ações, cultura, rearranjos populacionais e todo tipo de fluxos, ideias, movimentos econômicos, em outras palavras, é buscar o tangível e o intangível. Esse livro busca, portanto, responder as inquietudes dos seus diversos autores, com suas variadas visões que traduz o real conceito de Universidade e se fundem no grupo de pesquisa “Desenvolvimento Regional e Sustentabilidade”. O Regional está no “DNA” da UnirG, em nosso nome e em nossa missão, assim sendo, o trabalho que agora apresentamos é o alinhamento de todos nossos objetivos, metas e valores.

Capítulos:

CAPÍTULO 1 – CORTES E RECORTES EM TERRITÓRIOS TOCANTINENSES

Ivany Coeli Leal Coragem

CAPÍTULO 2 – REDES DE COOPERAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DO TERRITÓRIO DAS UNIVERSIDADES: A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM AÇÃO

 Ivany Coeli Leal Coragem

CAPÍTULO 3 – GEOPROCESSAMENTO APLICADO AO PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO COM FOCO EM MAPEAMENTO DE CRIMES

Antônio Jeronimo Netto, Julierme Siriano da Silva, Bárbara Suelma Souza Costa

CAPÍTULO 4 – A REPRESENTATIVIDADE DO ICMS ECOLÓGICO NOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO SUL DO ESTADO DO TOCANTINS

Gabriella de Castro Weber, Regiane Souza Costa Brito, Patrícia Pinheiro Alves, Mônica Franch Carniello

CAPÍTULO 5 – ALTERNATIVAS PARA REDUÇÃO DO TEMPO DE ESPERA POR ATENDIMENTO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA EM UM HOSPITAL PÚBLICO NO MUNICÍPIO DE GURUPI – TO

Fábio Pegoraro

CAPÍTULO 6 – O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA MICRORREGIÃO DE GURUPI/TO

Edson Trajano Vieira, Cejana Borges Marques

 CAPÍTULO 7 – O TRABALHO ESCRAVO NA AMAZÔNIALEGAL E A LUTA PELOS DIREITOS HUMANOS

Paulo Henrique Costa Mattos

CAPÍTULO 8 – O PRONAF MULHER NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DA REGIÃO SUL DO TOCANTINS

Cláudia da Luz Carvelli

CAPÍTULO 9 – TRANSPARÊNCIA GOVERNAMENTAL: PORTAIS DA TRANSPARÊNCIA DOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO SUL DO TOCANTINS

Gilberto Gomes de Amorim, Marcos Vinicius Oliveira Gonçalves, Lucas Rodrigues Sales dos Santos

CAPÍTULO 10 – VIOLÊNCIA AGRÁRIA, DESTRUIÇÃO AMBIENTAL E DESRESPEITOS AOS DIREITOS HUMANOS: A BARBÁRIE NOSSA DE CADA DIA

Paulo Henrique Costa Mattos

CAPÍTULO 11 – O GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS NO ESTADO DO TOCANTINS – LEI 10.267/2001

Liamar Maria dos Anjos, Hellen Dayany Barboza Barros, Jorge Linhares da Costa, Fernanda Alves dos Santos, Vanessa Ferreira Alves, José Carlos Soares dos Santos

Livrarias

Amazon Brasil, Alemanha Estados Unidos, Grã-Bretanha, México, Áustria, Espanha
Apple iBooks Store (BR) Brasil, Alemanha Estados Unidos, Grã-Bretanha, Áustria, Espanha
Barnes & Noble Estados Unidos
Bol.de Alemanha
Buecher.de Alemanha
ebook.de Alemanha
Google Brasil
Hugendubel Alemanha
Kobo Brasil, Alemanha Estados Unidos, Espanha
Libreria de la U Alemanha
Livraria Cultura Brasil
Mayersche Buchhandlung Alemanha
Orell Füssli Suíça
Osiander Alemanha
Saraiva Brasil
Scribd Alemanha
Thalia Alemanha, Austria
O Núcleo de Tecnologia da Universidade de Gurupi é uma estrutura criada pela Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICTs), vinculada à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, que tem por finalidade a gestão das políticas institucionais de inovação, por meio de competências específicas instituídas na Lei Federal n. 13.243, de 11 de janeiro de 2016.

O NIT tem como finalidade gerar as políticas institucionais de inovação e empreendedorismo, auxiliando na promoção, na utilização e no uso de novas tecnologias oriundas da própria ICT ou de outras ICTs.

 

O NIT se justifica em virtude de as mudanças políticas e econômicas exigirem que a inovação seja o principal mecanismo para reduzir a dependência tecnológica. O NIT garante que os conhecimentos desenvolvidos nas ICTs sejam geridos de forma adequada, para que sejam transferidos entre agentes, empresas e universidades.

 
Em âmbito geral, compete ao NIT:
– Desenvolver estudos de prospecção tecnológica;
– Desenvolver estudos e estratégias para transferência de inovação;
– Promover e acompanhar o relacionamento das ICTs com as empresas e o terceiro setor;
– Representar a ICT pública, no âmbito de sua política de inovação.

A pesquisa é uma obrigação inerente à atividade da docência no ensino superior e está prevista no PDI, PPCs e políticas de ensino, extensão, pesquisa e pós-graduação. Isto, pois, a formação de profissionais qualificados pela Universidade está diretamente relacionada com a capacitação de docentes, discentes e colaboradores interessados, tais como servidores. A capacitação docente perpassa pela competência de gerar e socializar o conhecimento e requer domínio do processo de pesquisa. A geração de conhecimento é um processo contínuo e, especialmente nos tempos atuais, essencial para a formação de profissionais que se adéquem às exigências do mercado de trabalho em intensa transformação. Neste ponto, a pesquisa tem papel primordial, pois proporciona a formação de profissionais pró-ativos capazes de inovar e construir novas práticas diante dos desafios de um mundo em transformação. Logo, a pesquisa além de obrigação, como dito anteriormente, é uma ferramenta de aprendizado e de formação de profissionais adequados para atender às demandas da sociedade. E as publicações científicas socializam o conhecimento gerado e incitam inovações.

O Núcleo de Apoio a Ciência, NAC, será um espaço destinado ao desenvolvimento do conhecimento, nas áreas de competências da Universidade, através do trabalho integrado de pesquisa entre docentes e discentes. Oferecerá suporte aos pesquisadores, por meio de atendimentos, minicursos, oficinas e palestras de capacitação em metodologia.

 

Contato para Atendimento:

E-mail: nac@unirg.edu.br

 




UnirG
Prefeitura

Nossas Redes Sociais