santosh ansumali phd thesis write essays for college students do homework artweaver write a paper on essays in radical empiricism
Publicado em 08 Novembro 2017

Na noite da desta terça-feira, 07, no auditório do Senac, em Gurupi, a Liga Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer encerrou o Outubro Rosa com uma homenagem às cidadãs solidárias e apresentou várias histórias de lutas, vitórias e esperanças. Entre as atividades do evento estavam o lançamento da revista da Liga, mostra fotográfica do Projeto Diamante e um coquetel.

 

texto GeorgeAs expectativas dos atendimentos voltados à campanha Outubro Rosa foram superadas com o apoio da Secretaria de Saúde do município e da UnirG. “Somos felizes em atendermos um número elevado de pacientes em consultas, citologias e muitos encaminhamentos para mamografia”, comemorou a presidente da Liga Feminina, Clezia Sena.

 

Ao retratar os atendimentos de outubro, referentes à saúde, a presidente agradeceu o voluntariado da Dra. Fabiana Anjos acompanhada por alunos do curso de Medicina da UnirG. “Eles participaram dos dias “D” da Liga durante todo o mês, que era o dia semanal do atendimento com uma jornada de 12 horas consecutivas sem intervalos, todas as terças-feiras, para que pudéssemos atender o maior número de pessoas”, lembrou.

 

 Um dos objetivos do evento foi celebrar os 11 anos de caminhada da Liga e lançar a revista Life que conta um pouco dessa história. Os alunos do curso de jornalismo do Centro Universitário UnirG, supervisionados pelo professor Paulo Albuquerque, foram os responsáveis pela diagramação do material gráfico, coleta de entrevistas e elaboração dos textos.

 

Com sentimento de gratidão, Clezia parabenizou a turma de futuros jornalistas pela publicação da revista. “Fechamos a campanha do Outubro Rosa com a revista contando a história da Liga, a importância de todos esses anos, as pacientes, mulheres pioneiras de Gurupi, parcerias que fizeram a diferença no município como empreendedoras e empresárias. Além de muitos outros motivos para que esse reconhecimento também acontecesse”, pontuou.

 

“São muitos colaboradores, voluntários, patrocinadores, parceiros maravilhosos que contribuem no silêncio e ajudam a Liga de forma significativa, sem eles nada seria possível. E a revista vem com esse apoio maravilhoso da UnirG, junto com os alunos do jornalismo, nos presenteando com um material de abordagens da nossa história”, ressaltou ela.

 

Paulo Albuquerque falou sobre a condução dos trabalhos durante o período de confecção da revista. “Foi muito importante porque, além de serMostra fotográfica do Projeto Diamante-1 um serviço que a gente presta à comunidade, serviu mais ainda para fortalecer a formação de nossos acadêmicos. Os estudantes puderam desenvolver textos e entrar em contato com um tipo de mídia importante que é a revista. Nesse aspecto, todos nós ganhamos”, destacou.

 

Para a acadêmica do curso de jornalismo e presidente da turma, Aline Marques, trabalhar na produção da revista foi um momento muito especial. “A Liga faz um trabalho importantíssimo em Gurupi e suas ações devem sempre ser divulgadas para que a sociedade conheça e possa fazer parte de algo tão especial. Fiquei muito feliz, pois foi o meu primeiro material publicado em revista”, celebrou.

 

Aline Marques lembrou a importância do trabalho social do comunicador inserido na comunidade, principalmente na evidência dos trabalhos voluntários das ONG’s e das lutas sociais dos diversos grupos em busca da transformação da realidade. “O papel do jornalista é atender a sociedade e se eu estou construindo me sinto realizada”, finalizou.

 

 Durante a solenidade de lançamento da revista, a fotógrafa Jenilsa Cirqueira, apresentou o Projeto Diamante, uma mostra fotográfica realizada com algumas pacientes da Liga Feminina. “Com essa exposição queremos mostrar a sensualidade feminina. Ao fotografar cada uma delas, adquiri muitos aprendizados”, disse emocionada.

 

Estiveram presentes no evento o prefeito Laurez Moreira, o vereador Sargento Jenilson Cerqueira, a reitora da UnirG, Lady Sakay, o presidente da Fecomércio, Itelvino Pisoni, o ex-vereador e um dos pioneiros da Liga, Kita Maciel, a presidente da Liga, Clezia Sena, a coordenadora do curso de jornalismo da UnirG, Catarina Muniz, a professora do Jornalismo, Alessandra Duarte, o pároco da Paróquia de Santo Antônio, Pe. Eldinei Carneiro, o pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Abadia, Pe. Marcos Aurélio, a empresária e sócia da Cemar, Maria Eugênia, entre outros.

 

Novembro Azul

 

A Liga Feminina de Gurupi também abraça a campanha do Novembro Azul em que os homens são conscientizados para a prevenção do câncer de próstata. Clezia Sena classifica a campanha tão importante quanto a mobilizada no Outubro Rosa.

 

 “Agora é a vez dos homens. Nós vamos focar no atendimento, no esclarecimento, tirar dúvidas, fazer palestras para que consigamos chegar ao maior número de pessoas por meio das empresas e das escolas. É preciso tirar um pouco desse medo, desse receio, desse preconceito que eles têm porque o mais importante é ter a saúde. A prevenção é a melhor forma de tratar”, alertou a presidente.

 

 Metas

 

A Liga irá concentrar suas forças agora para construir sua sede própria e melhorar o atendimento aos pacientes, setorizar cada especialização e dar condições mais confortáveis às voluntárias com a ajuda de parceiros, empresários, poder público e comunidade em geral.

 

“Hoje é o nosso foco, desejo e sonho. Eu gostaria muito que todas as aquelas pessoas que pudessem ajudar, nos procurasse. Faça essa diferença, não espere pela Liga, somos poucas voluntárias para muito trabalho. Eu peço que as pessoas se disponibilizem e faça-nos uma visita”, finalizou a presidente da Liga.

 

Fotos: divulgação

 

(Texto produzido pelo estudante de Jornalismo George Henrique)